Sopa de Pedra entra no cardápio do Festival de Sopas Ceagesp

Foto: Guilherme Dinamarco

O cardápio do Festival de Sopas Ceagesp desta quarta semana tem até Sopa de Pedra. Receita adaptada da culinária portuguesa, a iguaria é baseada numa lenda contada em Portugal, por várias gerações, e ajuda a aquecer as noites frias deste outono com cara de inverno.

O prato é um dos destaques entre as opções de sopas que serão servidas até domingo no evento na Ceagesp. Além da Sopa de Pedra, o cardápio semanal tem ainda Creme de Alho Poro com Gorgonzola, Creme de Cenoura com Mel e Mostarda e Caldo de Pinto com Quirela. Esses sabores acompanham as tradicionais sopas de Cebola e de Cebola Gratinada, fixas no cardápio até o final do evento. Toda semana, novas opções substituem as anteriores.

O valor de R$ 38,90 por pessoa dá direito a tomar todas as sopas à vontade, incluindo complementos, como calabresa assada, queijo ralado, pães e croutons. Mas as bebidas, as sobremesas e os itens da mesa de antepastos são cobrados à parte. Crianças até cinco anos, não pagam. De seis a dez, pagam metade do valor. A partir de 11 anos, o preço é o mesmo de adultos.

Uma farta mesa de antepastos, cobrados à parte por kg, fica à disposição logo na entrada do Festival. Entre os itens que compõem a mesa estão queijos, frios, conservas, patês, pães e vários tipos de brusquetas e calzones. O evento oferece ainda uma carta de vinhos de várias nacionalidades e outras opções de bebidas, incluindo sucos, refrigerantes e café. As sobremesas complementam o cardápio.

O Festival de Sopas Ceagesp vai até 27 de agosto. Funciona às quartas, quintas e domingos, das 18h às 00h, e, às sextas e sábados, das 18h até 1h da manhã. A entrada é pelo Portão 4 da Ceagesp, localizado na altura do 1.946 da av. Dr. Gastão Vidigal, na Vila Leopoldina, Zona Oeste de São Paulo. O estacionamento tem preço fixo de R$ 10 para quem for ao evento.

  • Lenda da Sopa de Pedra

“Um frade que andava em peregrinação, orgulhoso demais para implorar por comida, chegou a uma casa e pediu aos donos que lhe emprestassem uma panela com água para preparar uma sopa de pedra. Curiosos, lhe emprestaram a panela. O frade retirou uma pedra que guardava em seu bornal, colocou-a na panela, acrescentou água e iniciou a fervura no fogo. Então, disse que era preciso temperar a sopa. A dona da casa lhe trouxe sal, mas ele sustentou que, se fosse um bocado de chouriço, ficaria melhor. Acrescentado o chouriço, o frade perguntou se não havia algo para engrossar a sopa. Trouxeram-lhe batatas, assim como vários outros ingredientes que tinham em casa. Naturalmente, a mistura resultou numa excelente sopa, que comeram juntos. No final, o frade retirou cuidadosamente a pedra da panela, lavou-a e voltou a guardá-la para a próxima refeição.”

Serviço:www.festivaisceagesp.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *